"Fotografia Contemporânea Paraense - Panorama 80/90" é um projeto de pesquisa histórica e análise crítica sobre a produção fotográfica no Pará ao longo das décadas de 80 e 90, com curadoria de Rosely Nakagawa e pesquisa de Rubens Fernandes Junior e Patrick Pardini.

O projeto dedica-se à fotografia de autor e abrange fotógrafos cujos trabalhos possuem um percurso poético autêntico, formando assim um conjunto de imagens, no qual se pode perceber uma diversidade de linguagens e estilos próprios.

O projeto propõe a reflexão crítica da produção fotográfica paraense daqueles 20 anos, dentro do contexto da arte visual contemporânea, e sua difusão através de atividades como exposições, criação de acervo, produção de livro, CD-ROM e material educativo.

O livro apresenta a obra de 34 fotógrafos e constitui-se de 136 imagens (quatro de cada autor), quatro textos críticos e uma cronologia que destaca os principais eventos e exposições no Brasil e no Pará no período de 1980 a 2002.

O CD-ROM abriga o resumo dos textos da publicação e apresenta uma quantidade maior de imagens. São em torno de 15 imagens de cada fotógrafo, oferecendo ao leitor/espectador uma dimensão maior da trajetória do fotógrafo.

A exposição é dividida em dois blocos:

  • "Fotografia Contemporânea Paraense - Panorama 80/90", composta de obras de 26 fotógrafos atuantes ao longo das duas décadas. Esta coletiva torna-se o primeiro acervo de fotografia contemporânea do estado do Pará.
  • "Fotografia Contemporânea Paraense - Gratuliano Bibas e Anos 90", composta de coletiva com sete fotógrafos surgidos nos anos 90 e individual de Gratuliano Bibas (1917-1997), representante paraense da chamada fotografia moderna, estimulada e organizada pelos fotoclubes nas décadas de 50 e 60 no Brasil. O ambiente dos fotoclubes permitiu discussões sobre arte e experimentalismo na fotografia. A presença de Gratuliano Bibas no projeto se deve a uma necessária ponte entre o moderno e o contemporâneo, para a análise da produção dos autores nos últimos 20 anos no Pará. A pesquisa sobre Gratuliano Bibas assim como a curadoria de sua exposição foram realizadas por Orlando Maneschy.

O projeto também propõe uma ação educativa a partir da produção de material específico para o trabalho com escolas e outras instituições educacionais. São mídias pedagógicas como pranchas educativas, o Caderno do Professor e encartes sobre a linguagem e a história da fotografia, contextualizando a produção do Pará no período de 1980 a 2002. As pranchas apresentam imagens com breves comentários para estimular a percepção do aluno e servir como ferramenta para interpretação da imagem fotográfica.


Maiores informações:
AMU Pará - Associação dos Amigos dos Museus do Pará
SIM - Sistema Integrado de Museus
e-mail: sim@nautilus.com.br